My Beauty My Wellness

Sumos Verdes: Toda a Verdade!

Sumos Verdes

Os sumos verdes são a nova religião, o novo Graal da alimentação saudável. São as fotos publicadas logo pela manhã no Instagram, são os posts no Facebook e são as revistas que só falam no assunto!

Green juices are the new black!

Mas será que os sumos verdes têm apenas benefícios? Será que existem evidências científicas e artigos publicados que nos levam a pensar que este é o caminho para uma vida mais saudável?

Esta foi a pergunta que eu fiz a mim própria. Tinha algumas pistas, mas decidi pesquisar, porque necessitava de mais informação. E nada como pesquisar na maior base de artigos científicos a nível mundial, para perceber o que existe sobre o assunto. Existem milhões de artigos científicos que se debruçam sobre o chá, vinho, etc., mas sobre a ingestão de legumes e frutas em sumos não existe ainda informação relevante.

Porquê, perguntam vocês?

Porque é uma tendência muito recente, e vai demorar algum tempo a surgirem informações científicas relevantes. Além disso, para se fazerem estudos sobre os efeitos a longo-prazo, é necessário tempo, bastante tempo. Muitas vezes com a evolução, algo que era considerado saudável, ficou provado que não o era, portanto as palavras de ordem são equilíbrio e moderação.

Por exemplo, um estudo de 2013, do departamento de Neurologia da Universidade de Pittsburgh, que pretendia perceber se o sumo de romã, que é altamente rico em antioxidantes, conferia protecção na doença de Parkinson, veio afinal a perceber que afinal o sumo de romã exacerba o stress oxidativo e a degeneração de uma zona do cérebro em doentes com Parkinson.

Sumos Verdes, o que temos de ter em atenção?

Tenho lido muito disparates em relação aos sumos verdes e visto muitos disparates na combinação de ingredientes. Portanto, vou dar algumas dicas para fazer um sumo verde convenientemente!

1. Sumos de Fruta e Sumos de Legumes não são a mesma coisa.

A Frutose é o principal açúcar presente na fruta. A frutose é metabolizada de forma diferente dos outros açúcares [sacarose, glicose, galactose], pois passa directamente do intestino para o fígado onde é metabolizada em triglicéridos e ácidos gordos, que são armazenados na forma de gordura. Consumos elevados de frutose levam a colesterol e triglicéridos elevados, fígado gordo e doenças cardíacas.

O nosso corpo consegue lidar bem com a frutose da fruta, pois as frutas têm bastante fibra, que regula a digestão e a absorção dos açúcares. O problema é que a fibra dos frutos não passa para o sumo e aí estamos apenas a consumir o açúcar da fruta. E a frutose venha dos doces ou da fruta é percepcionada pelo nosso fígado como igual, sendo transformada em gordura. Por isso, é que a ingestão de sumos de fruta aumenta o risco de diabetes tipo II, enquanto que consumir a fruta inteira baixa esse risco.

Portanto, para fazer um sumo verde o ratio legumes:fruta é de 4:1, ou seja 4 legumes para uma fruta.
Este é o erro que mais vezes vejo a ser cometido. Demasiadas frutas para poucos legumes. A fruta está lá para dar o açúcar suficiente para tornar o sumo doce. Portanto, cuidado com a fruta em demasia.

Frutas com baixos níveis de frutose [logo, as mais indicadas para adicionar ao sumo]: amoras, morangos, framboesas, pêssegos, mirtilos, limão, tangerinas, kiwis, maracujá, abacate.

Frutas com alto de teor de frutose [portanto,  a evitar nos sumos verdes ou limitar a quantidade!]: maçã, manga, papaia, pêra, melancia, dióspiros, cerejas.

2. Continua a ser necessário ingerir vegetais e fruta.

Mas eu bebo os meus vegetais em sumo! Pois, mas continua a ser necessário comê-los! A fruta e os vegetais têm fibras que são saciantes e necessárias para o nosso organismo, e que são importantes na nossa digestão, portanto, beber os vegetais e as frutas não é o mesmo que comê-los.

3. Certos legumes podem diminuir a função tiroideia.

Os vários tipos de couve, os brócolos, espinafres, couve de Bruxelas, o nabo e agrião são legumes que, quando consumidos crus, contêm substâncias  que suprimem a função tiroidea, levando a um alargamento da tiróide e supressão das hormonas da tiróide. Logo, devem ser evitados no sumo. Pessoas com hipotiroidismo não podem mesmo adicionar estes legumes ao sumo verde.
Além disso, quando consumidos crus provocam gases, inchaço e perturbações gastrointestinais. São excelentes, mas preferencialmente são para ser cozinhados!

Os espinafres, acelga e beterraba diminuem também a absorção de cálcio.

4. Os Sumos Verdes podem levar a uma ingestão de calorias em demasia.

Mesmo tendo um ratio de 4:1 de legumes/fruta, a ingestão de calorias pode ser em demasia, pois os legumes têm também calorias. Portanto, não beber mais do que um copo de sumo verde por dia, para não engordar.

5. Beber o sumo logo após a preparação.

As vitaminas e os nutrientes oxidam facilmente [em contacto com a luz e o ar], portanto o sumo tem de ser preparado na hora.

6. Não beber o sumo verde com alimentos.

De preferência deve ser bebido em jejum. Quando combinado com alimentos, a digestão torna-se mais lenta e difícil e pode levar a distúrbios gastrointestinais como flatulência, cólicas, enfartamento.

Então, o que se pode colocar no sumo verde?

Pepino, alface, aipo,  funcho, salsa, coentros, gengibre, hortelã, são alguns exemplos do que pode ser adicionado ao sumo verde. Os legumes e as frutas devem ser biológicos, para não ingerir pesticidas em grandes quantidades.

Eu alimento-me de forma saudável e como diariamente frutas e vegetais, logo, vejo com algum cepticismo esta recente moda. Para quem não consome vegetais e frutas, percebo que seja uma forma fácil de os incorporar e percebo que vejam algumas diferenças. Mas é importante saber que beber os legumes e frutas não é igual a comê-los. O que é importante em tudo na vida é o equilíbrio e a moderação pois as obsessões nunca são saudáveis!

Artigo Anterior Próximo Artigo

Também Poderá Gostar

Nenhum Comentário

Deixar uma resposta

Gostou do artigo?

Subscreva a newsletter para estar a par das novidades!

Obrigada e até breve!