My Beauty

O seu champô é perigoso para a saúde?

Talvez esteja na hora de se mudar de champô! O Consumer’s Council de HK analisou 60 champôs e mais de metade contêm um solvente perigoso, 1,4-dioxane, que cuja exposição a longo termo pode causar lesões no fígado e rins.

De acordo, com os Standards Técnicos e de Segurança para os cosméticos, este solvente não pode ser usado como matéria-prima na produção de cosméticos. No entanto, esta substância forma-se como resultado de reações químicas de outras substâncias. Por isso, a concentração máxima permitida de 1,4-dioxano permitida na Europa é de 10 ppm.

No entanto, 7 dos champôs excediam este limite permitido, incluindo champôs da Pantene, Head and Shoulders, Herbal Essences. Os champôs testados da Schwarzkopf, Dove, LUX, o Syoss Silicone Free, L’Oreal Elvive também contêm 1,4-dioxano mas nas concentrações permitidas por lei. De acordo com o Consumer’s Council, quem tem olhos sensíveis, propensão para alergias e o sistema respiratório debilitado deve evitar estes produtos. Podem mesmo, com uma exposição crónica causar danos no sistema nervoso central.

Curiosamente, um dos champôs de contém 1,4 dioxano é orgânico, o Petal Fresh Strengthening Shampoo, o que indica que não é por comprarmos algo orgânico, que esse produto não possa conter substâncias indesejáveis [a marca entretanto já o retirou do mercado].

Em outros 12 champôs foi detectado conservantes com alto potencial de alergias como methylisothiazolinone (MIT) e methylchloroisothiazolinone (CMIT) que são frequentemente adicionados para evitar o crescimento bacteriano. Nestes casos, a recomendação dada, é que quem tem o couro cabeludo sensível, pele e olhos sensíveis, deve evitar usar estes champôs, pelo seu carácter sensibilizante. O champô da Rene Furterer Naturia, o Klorane Champô de Aveia são exemplos de champôs nos quais foi encontrado MIT.

O champô da Head and Shoulders continha 0.18ppm de arsénico, um metal pesado, um valor muito próximo do valor máximo permitido no EUA e Canada de 0.20 ppm.

Infelizmente, o problema com este tipo de informação é que não é algo que esteja no rótulo. Contaminação por metais pesados, solventes perigosos nunca vai constar no rótulo, porque não é algo que esteja na composição deliberadamente. No entanto, é fundamental estarmos informados destas situações para que possamos fazer melhor escolhas de produtos. Portanto, aqui ficam alguns exemplos de champôs que não continham nenhuma destas substâncias: Phyto Phytoprogenium, John Masters Organics Lavender & Rosemary, Aveda invati exfoliating shampoo.

Artigo Anterior Próximo Artigo

Também Poderá Gostar

8 Comentários

  • Responder aurora Novembro 20, 2017 at 11:45 am

    É bom saber.
    Obrigado.

    • Responder Andreia Novembro 26, 2017 at 4:52 am

      Obrigada Aurora 🙂

  • Responder Sara Novembro 20, 2017 at 6:36 pm

    Será que da marca phyto, só esse é que não contem essas substâncias? Por acaso é essa a marca que uso, mas costumo comprar outras linhas de tratamento. Informação muito útil. Obrigada.

    • Responder Andreia Novembro 28, 2017 at 1:59 pm

      Olá Sara,
      acredito que não tenham! Na verdade, vai ser a minha próxima opção também! 🙂

  • Responder Maria Ana Novembro 20, 2017 at 11:34 pm

    Obrigada por mais estas aprendizagens.

    • Responder Andreia Novembro 26, 2017 at 4:48 am

      Obrigada Maria Ana! 🙂

  • Responder Andreia Novembro 21, 2017 at 1:56 am

    Boa noite Andreia, o problema é realmente resultar de uma reação química dos compostos, só alguém com conhecimentos de química para interpretar os ingredientes da maioria dos produtos que usamos e mesmo dos alimentos que comemos…

    • Responder Andreia Novembro 26, 2017 at 4:47 am

      Olá Andreia,
      sim, o problema mesmo é não ser um ingrediente, mas sim um contaminante…logo é impossível saber se está presente sem ser por testes! 🙁

    Deixar uma resposta

    Gostou do artigo?

    Subscreva a newsletter para estar a par das novidades!

    Obrigada e até breve!