Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
MyTravels

Viagem a Phnom Penh: o que ver e o que fazer!

Nestes dias de ano novo chinês aproveitei para rumar a Phnom Penh no Camboja [parece que o nome Cambodja entrou em desuso e agora em português diz-se Camboja]. Razões? Um voo directo de 2h3o, temperaturas a rondar os 32 graus e um local menos turístico, logo, menos congestionado com turistas chineses.

Onde ir:

  • Palácio Real e Silver Pagoda. O Palácio abre às 8h da manhã e a melhor hora para visitar é mesmo à abertura. Não se pode mostrar os ombros nem usar saias ou calções muito curtos.
  • Wat Ounalom. Existem muitos templos budistas na cidade e este é um dos maiores. Engraçado a quantidade de pequenos templos que existem dentro deste complexo. Ideal para passear um pouco e ver os monges na sua rotina diária.
  • Museu Nacional. O Museu Nacional é bom para se conhecer a arte Khmer, mas quem não estiver interessado em passar um dia no museu, passeie na zona exterior ao museu e vá ao Show de Dança Tradicional no Museu, todos os dias às 19h. O espetáculo é fantástico e vale muito a pena. O melhor é reservar com antecedência pelo Tripadvisor.
  • Silk Island ou Koh Dach. Uma forma de conhecer um pouco do Camboja rural. Interessante ver a Silk Farm onde ainda se fabricam écharpes de seda e de algodão feitas à mão e de forma tradicional. 4 horas de viagem pela ilha é o suficiente para se ter uma boa ideia da ilha. E o melhor mesmo é pedirem um tuk tuk no hotel, que não vá pelo percurso de ferry mais turístico. Torna a viagem mais agradável, porque muitos turistas queixam-se que nos ferries habituais há muitos vendedores chatos. Eu fiz a travessia de rio num ferry claramente só usado por locais, o que tornou a viagem muito relaxante.

O que fazer em Phnom Penh:

  • Um tratamento no BodiaSpa. O BodiaSpa é o melhor spa do Camboja, tem preços justos e o espaço é agradável. Para quem nunca fez uma esfoliação fora de casa, aconselho, é algo diferente e eu que só fiz porque estava incluído no pacote que eu escolhi, fiquei agradavelmente surpreendida! Algo a repetir!
  • Uma aula de cozinha. Existem vários locais na cidade onde fazer aulas de cozinha tradicional do Camboja e era algo que eu tinha muito interesse em fazer. Adorei toda a experiência e aprendi tanto sobre a história do Camboja nesta aula, que é algo que marcou imenso.

O melhor de Phnom Penh:

  • A comida. Existem muitos bons restaurantes na cidade e para todos os gostos. Muitos restaurantes franceses, muitos restaurantes de comida vegan e saudável! Existe uma preocupação com os ingredientes usados e muitos restaurantes referem mesmo que não usam MSG [monoglutamato, intensificador de sabor muito usado na cozinha asiática]. É imperativo conhecer também a comida do Camboja, tão saborosa. É muito usada a erva-limão e o gengibre para dar sabor aos alimentos. O leite de coco também está muito presente na cozinha khmer. A maioria dos pratos combinam o doce com o salgado, que é algo muito invulgar na cozinha europeia.

  • As pessoas. As pessoas são super simpáticas e têm um sorriso contagiante. Impossível não sorrir de volta.
  • A possibilidade de relaxar. Apesar de Phnom Penh ser uma cidade vibrante e cheia de vida, existem muitos resorts urbanos na cidade onde é possível relaxar e descansar em piscinas maravilhosas.

 

Dicas!

  • PassApp. É uma aplicação tipo Uber, mas para tuk tuks. Com a aplicação coloca-se o local de partida e de chegada, fica-se a saber o preço da viagem e passado 2-3 minutos temos um tuk tuk à nossa espera no local selecionado. É super fácil de usar e assim não é necessário regatear os preços das viagens. Paga-se ao motorista ou através da app, como se preferir. E é muito mais barato! Indispensável para quem viaja no Camboja!

O Camboja é um país que ainda está a recuperar das feridas da guerra. Curiosamente, quase todos ouvimos falar da guerra do Vietname e o que se estava a passar ao lado no Camboja não foi falado. Ainda existe muita pobreza, a maioria das ruas ainda é muito suja, ainda há muito para fazer para melhorar o sistema de educação e de saúde local. Mas, o turismo está a ajudar a desenvolver o país, a fazer com que mais pessoas tenham empregos e as pessoas têm esperança num futuro melhor para elas e para os filhos e isso é muito bom.  Quem quiser saber mais sobre a tragédia no Camboja veja o filme realizado pela Angelina Jolie, First They Killed My Father, baseado numa história real, disponível no Netflix.

Artigo Anterior Próximo Artigo

Também Poderá Gostar

2 Comentários

  • Responder Maria Luzia Fevereiro 26, 2018 at 2:04 pm

    Olá Andreia ,como sempre adoro ler as suas publicações ,obrigada pela partilha destas informações ,que fazem parte da sua vida .Aprendemos sempre algo novo .! Até à próxima .

    • Responder Andreia Fevereiro 26, 2018 at 2:17 pm

      Ainda bem que gostou, Maria Luiza. Fico muito contente de saber isso. Um beijinho

    Deixar uma resposta

    Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

    Gostou do artigo?

    Subscreva a newsletter para estar a par das novidades!

    Obrigada e até breve!